Bombeiros Voluntários de Queluz

 
 
 
 
Bombeiros Voluntários de Queluz
 
 
 
 
 
 

Bombeiros Voluntários de Queluz

 

 
A nossa História

Correspondendo ao grande Movimento Nacional de Humanitarismo e Solidariedade que percorreu o nosso País no início do Século e mobilizou milhares de Portugueses, em 2 de Outubro de 1921, foi fundada a Sociedade Benemérita de Queluz, mais tarde autorizada para o desempenho de missões de socorro, por Alvará do Governo Civil de Lisboa, de 23 de Novembro de 1923.
Dispondo apenas da vontade generosa e inquebrantável de um reduzido grupo de Queluzenses e de meios rudimentares de acção, os Bombeiros Voluntários de Queluz, à falta de instalações apropriadas, guardaram os primeiros equipamentos e viaturas em instalações do antigo Palácio de Queluz.
Importa registar os primeiros meios disponíveis e o significativo esforço desenvolvido nessa época.

1921
Um carro braçal de escada
Um carro braçal com uma bomba de caldeira - "FLAUD"

1922
Pouco se conhece, por falta de elementos, da vida da Sociedade Benemérita de Queluz. No entanto, sabe-se que realizou a sua primeira Assembleia Geral em 5 de Novembro de 1922, para apreciação do Projecto dos Estatutos e eleição dos seus Corpos Gerentes.
Segundo consta na Acta N° 1, a Mesa que orientou os trabalhos ficou constituída pêlos seguintes Associados:
Presidente: Manuel de Jesus Pereira 1.° Secretário: Jorge Baracho 2.° Secretário: Henrique Marques Relator: Carlos Costa
Comparecendo às 14 horas apenas 16 Associados, quando seriam necessários 110, a Mesa que presidia aos trabalhos aguardou até às 16 horas a comparência de novos Associados.
Como não apareceu mais ninguém, a Assembleia Geral foi transferida para o dia 12 de Novembro para funcionar com qualquer número de Associados.

Aprovados os Estatutos com 53 Artigos, foram eleitos os Corpos Gerentes para o triénio 1923 - 1925, constituídos pelos seguintes Associados.


 
 
 
 
ASSEMBLEIA GERAL
Presidente: Pedro Nuno de Lemos
Vice- Presidente: Amável Jesus Ramos Tenera
1.° Secretário: Manuel Luís Pereira Mateus
2.° Secretário: António Joaquim Tira-Picos

DIRECÇÃO
Presidente: Ramiro da Silva Ramos
Vice Presidente: Carlos Miguel Vieira Rodrigues
Vice Presidente: Gustavo Francisco Mendonça Estevens
Tesoureiro: João Maria Canhoto Russo
Secretário: Luís Carlos Pestana Mairos
1." Vogal: Maria Amélia Freire Simões Andrade
2.° Vogal: Luís Filipe Ribeiro Seixas


 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
CONSELHO FISCAL: Silva Reis, José Calanzas, Sousa Soares, João Batista Marques

Passados poucos meses, em 18 de Março de 1923, em nova Assembleia Geral, é anunciada a demissão da Direcção, ao mesmo tempo que o Presidente da Assembleia Geral tornava pública uma carta recebida do Comandante do Corpo de Bombeiros solicitando providências para situações anómalos verificadas na Associação.
Perante esta nova situação, por proposta do Presidente da Assembleia Geral é eleito por aclamação o Associado fundador Sr. Manuel de Jesus Pereira para Presidente da Direcção, que de imediato apresenta uma lista para a Direcção, assim constituída:
Presidente: Pedro Nuno de Lemos
Vice- Presidente: Amável Jesus Ramos Tenera

1.° Secretário: Manuel Luís Pereira Mateus

2.° Secretário: António Joaquim Tira-Picos

Posteriormente ocorreram novas Assembleias Gerais, registando sempre um reduzido número de presenças.

Conheça aqui a nossa História na íntegra.
 
 
 
 
 
 

Contacte-nos

 
 
 
Os campos assinalados com asterísco (*) são obrigatórios.